40 Dias de Jejum e Oração “Por uma Nova Reforma”

A Igreja Cristã Evangélica de Campinas (ICEC) e outras 1.200 igrejas, fora as que aderiram a esse projeto sem se cadastrar, participaram de uma jornada de 40 dias de oração e jejum voltada para a própria igreja. A missão da Igreja é para fora, ou seja, levar a mensagem de salvação e esperança para o mundo, mas chega o momento, em que se faz necessário repensar a própria vida da Igreja para que haja coerência no cumprimento dessa missão. A proposta dos 40 dias nos tirou do foco externo para uma reflexão interna. Foram dias de revisão da missão e análise do verdadeiro papel da Igreja em todos os sentidos. A igreja é o instrumento de Deus para a transformação da sociedade, desde que, ela esteja alicerçada nos princípios da Palavra de Deus (a Bíblia), e viva como Cristo nos ensinou a viver. Cristianismo nada mais é do que conhecer, obedecer e imitar a Jesus.

A reforma protestante, que foi apenas uma das inúmeras reformas religiosas, ocorreu após a idade média, e tinha como base, além do cunho religioso, a insatisfação com as atitudes da Igreja Católica que se distanciava cada vez mais dos princípios primordiais que formavam a base da Igreja Cristã. A Igreja que outrora condenava o acúmulo de capitais, agora era dona de muitas terras e bens. Que outrora havia combatido o apego exagerado às riquezas, agora havia ajuntado grandes somas de dinheiro. Tinha poder político com capacidade para interferir em grandes decisões, mas se pôs a serviço de uma burguesia ascendente que estava precisando de uma religião para remissão dos seus pecados. O pior, ao se afastar da base e dos princípios essenciais do cristianismo, a igreja deixa de pregar o arrependimento dos pecados e passa a pregar um outro evangelho (anátema, ou seja, amaldiçoado), afirmando que qualquer cristão poderia comprar a salvação e o perdão para os seus pecados através das indulgências. Essas e outras práticas, fizeram com que um monge agostiniano da região saxônia, por nome Martinho Lutero, discordasse publicamente dessas atitudes e tomasse corajosamente a liderança da reforma protestando contra aquele caminho que a igreja estava seguindo.

Lutero protestou porque a igreja estava se afastando da Verdade, e hoje, movimentos ditos evangélicos, estão fazendo a mesma coisa e até pior. A Igreja de então, vendia o perdão e a salvação, setores da igreja hoje estão vendendo a bênção de modo estúpido e escancarado pelos meios de comunicação como se a Igreja fosse um comércio estabelecido na terra pelo próprio Deus. O céu não tem preço estão destruindo a doutrina da graça. Muitos líderes não são nem mesmo amigos dos políticos, mas são grandes amigos do poder e não importa quem esteja por lá. São apaixonados pelas pessoas apenas enquanto estão no exercício de um mandato. Essa é uma relação adúltera. Quanto ao acúmulo de riquezas, o que dizer? Está estampado na frente de todos o absurdo provocado principalmente por aqueles que de modo pessoal e particular se enriquecem às custas da fidelidade dos membros de suas igrejas, muitos deles pobres. Sobre esse assunto que já virou piada das rodinhas, dispensa-se qualquer comentário adicional.

O tema tornou-se relevante porque os mesmos problemas que provocaram a reforma pós idade média estão existindo hoje na igreja no Brasil e no mundo. A Igreja Reformada precisa de Reforma. A Igreja do século XXI, a nossa igreja, cresceu, desenvolveu, mas distanciou da base, perdeu a ética e a transparência, por isso precisa urgentemente de uma reforma. Foi com esta leitura que deflagramos essa campanha de oração e volta ao que é básico. Fomos conduzidos lá para o Sermão da Montanha que fala das características dos cidadãos do Reino e o que significa ser um verdadeiro cristão. Só uma igreja transformada será capaz de ser uma agência de transformação de vidas e consequentemente transformação da sociedade.

Nossa caminhada teve os seguintes temas semanais: Na primeira semana: Recomeçando com Cristo. Oportunidade de rever as qualidades do verdadeiro cristão e recomendações de como aplicá-las em nosso viver diário. Segunda Semana: Renovando o Compromisso. Fomos conduzidos à compreensão de que precisamos ter um compromisso sério com Deus, com a Bíblia, com a Igreja e com a Sociedade. Terceira semana: Costruindo o Caráter. É hora de deixar Deus forjar o caráter de Cristo em cada um dos seus seguidores. Quarta Semana: Retificando os Relacionamentos. Vivemos em sociedade e nos relacionamentos o nosso caráter se manifesta. Nesta semana foram dadas dicas sobre como nos relacionar em todas as dimensões. Quinta Semana: Restaurando a Capacitação. Uma tomada de consciência de que cada um precisa do poder de Deus para ser Sal da Terra e Luz do Mundo. Sexta e última Semana: Retomando a Caminhada. Foi a semana da tomada de decisão. Onde cada um pode entender que a reforma precisa começar no interior da pessoa, passando pela família e depois na Igreja. Assim concluímos uma jornada de 40 dias pedindo para o nosso Deus um milagre na Igreja que é a única entidade capaz de produzir uma genuína transformação neste mundo.

 

Sábado da Liderança

            Entendemos que todas as pessoas são líderes. Quem não lidera os outros lidera a si mesmo e diga-se passagem, liderar a si mesmo é uma tarefa muito difícil. Por ter essa visão, a Igreja Cristã Evangélica de Campinas (ICEC), está promovendo nesta semana o “Sábado da Liderança”, terceira edição. Separamos toda a manhã deste dia para trabalharmos conceitos de liderança, princípios para exercício de uma liderança eficaz, desafios que encontramos pelo caminho e ainda temos como objetivo encorajar cada participante a ter um papel de liderança, independente de se ter algum título ou cargo. Assim, podemos concluir os 40 dias por Uma Nova Reforma, com sugestões práticas para todos os membros da nossa comunidade local.

ARTIGO PUBLICADO NO DIÁRIO DA MANHÃ DO DIA 08 DE OUTUBRO DE 2013

http://www.dm.com.br/jornal/#!/view?e=20131008&p=22

Marcos José